Qual a melhor mochila para meu filho?

Qual a melhor mochila para meu filho?

Com a volta às aulas e vendo a quantidade de material solicitado, o peso da mochila me preocupa muito! Então, qual a melhor mochila para meu filho?

O Gabriel está no 5º ano, são 11 professores, quatro cadernos, apostilas, dicionários, agenda, estojo super lotado, lanche, garrafinha com água, pasta com régua, esquadro, enfim, muita coisa para levar… tenho certeza que esqueci algum material nessa lista.

O legal é que eles tem a tabelinha com os dias da semana e as aulas para cada dia, mas mesmo assim, muito material.

Até a metade do ano passado a criança gostava de sua mochila de rodinhas, mas do nada, deu um click e achou que era mico, que estava na hora de usar aquele de colocar nas costas.

Então, decidi procurar algumas opiniões e orientação para cada tipo de mochila:

Lendo uma matéria do portal G1 da globo.com fez com a participação do ortopedista Marcelo Tarso, separei algumas dicas que achei importante. 

Sobre as mochilas de rodinhas ele faz o seguinte comentário:

melhor mochila
imagem da internet

“As mochilas de rodinha são boas, mas é necessário ficar atento à altura. O puxador deve ser sempre ajustado de uma forma que a criança fique com o braço estendido ao puxar a mochila. Também é importante que a postura fique ereta e que a cada quinze minutos seja trocada de lado para balancear o esforço nos dois braços”               

 Sempre achei que as mochilas de rodinha fossem ótimas e não tinha essa preocupação sobre troca de lado.             

Sobre as mochilas com duas alças ele comenta:

melhor mochila
imagem da internet

“Este modelo sempre leva vantagem porque ele distribui o peso igualmente entre os dois ombros. É imprescindível que a alça seja bem larga e acolchoada também”. Ainda sobre as mochilas com duas alças, ele frisa que: é importante que a largura da mochila não seja maior do que as costas da criança”.

O especialista ainda comenta que se a mochila tiver mais uma alça para ser presa junto ao peito, consegue balancear melhor o peso.

Sobre as mochilas estilo carteiro ele orienta que a alça deva ser trocada de lado várias vezes, para não sobrecarregar um lado apenas.

Em outra matéria, do site pediatriaemfoco.com.br, o Dr. Luiz Cláudio Schettino, indica as mochilas de rodinhas, e cita que o peso do material não deve ultrapassar 10% do peso da criança, e dá como exemplo, que uma criança de 30 kg não pode levar uma mochila com mais de 3 kg.

Tomando todas essas informações como base, chego a conclusão que a decisão de qual mochila comprar de levar em consideração a idade, peso e quantidade de material.

No caso do Gabriel, não existem mochilas de rodinhas com a alça de transporte tão grandes para que ele fique com uma postura correta.

A decisão que tomei foi comprar a mochila com duas alças, orienta-lo como usar corretamente, e ficar atenta (e ele também pois deve ter esta responsabilidade) no cronograma de aulas.

Pois o uso errado de mochilas e excesso de peso, podem acarretar sérios problemas  e em alguns casos gerar pequenas lesões musculares no começo, mas que podem se tornar doenças crônicas como cifose ou hiperlordose lombar. 

Fiquem atentos!